quarta-feira, 16 de junho de 2010

Crônicas de Frecó

Frecó é um primo meu, também conhecido por Vetinho, cujo nome de batismo é José Antônio de Souza Sobrinho.Nascido em Areia Branca, linda megalópole potiguar, cuja beleza litorânea ultrapassa fronteiras, cenário de filmes como "Maria, mãe de Deus", rica em petróleo e sal, de povo simples, hospitaleiro e bonito, etc e tal...bem, já devem ter percebido onde eu nascí...rsrsrs!
Mas, o assunto aqui é Vetinho, ou Frecó, como queiram.Dono de uma incrível memória para fatos a muito tempo passados, (se perguntar o que ele fez ontem, talvez não se lembre - assim como eu!)lembra de vários personagens, fatos pitorescos, genealogia - filho de Paulo de Manezinho de Chagas, só para exemplificar comigo mesmo - sem deixar de incrementar as estórias e lembranças com boa dose de humor e fantasias (não vou dizer mentiras que fica feio!).
Frecó era o meu anjo-da-guarda (ainda usa o hífen?)na Casa do Estudante de Natal onde morou por 07 anos e por pouco não fica lá de vez, se não tivesse casado com uma também residente, só que da residência universitária.Casamento que durou 23 anos...hoje, ele é um, como ele mesmo diz, um candidato a idoso com seus 60 anos, pois, idoso somente a partir dos 65.
Algumas das suas crônicas são recheadas de palavrões, por isso, serão aqui abreviadas, no entanto, para bom entendedor, um k e um alho bastam!
Como hoje estou apenas apresentando-o, deixarei para outro post o início das "Crônicas de Frecó".
O propósito é informar e, ao mesmo tempo, divertir os leitores sem a pretensão de..."p. nenhuma!" como diria Frecó!
Abraços a todos e aguardem!!

Um comentário:

Fiquem à vontade para opinar, criticar, sugerir...